5 habilidades tecnológicas mais procuradas em 2022


Independentemente da profissão, é preciso se adaptar às constantes mudanças que ocorrem no mercado de trabalho. Por isso, investir em novos aprendizados e habilidades ao longo da carreira pode motivar boas mudanças, crescimento e aumento de oportunidades.

Não importa a idade, dominar novos campos pode fornecer habilidades que fazem a diferença, independente da profissão escolhida. Por isso, a pedido da Bússola, Roberto Moreno, diretor pedagógico da BYJU’S FutureSchool, edtech especializada em educação interativa online, separou uma lista com cinco habilidades tecnológicas que prometem dar uma vantagem competitiva na carreira em 2022:

Machine Learning

Desde a captura de fotos com fundo desfocado até as interações com as assistentes virtuais, os produtos e aplicativos implementam cada vez mais o machine learning. Em linhas gerais, o uso desta tecnologia é uma das etapas que envolve a inteligência artificial, ou seja, é sobre a capacidade de uma máquina de reproduzir o comportamento humano.

“Por trás de chatbots e programas que a Netflix sugere para o seu perfil, por exemplo, existe Machine Learning. Do varejo ao setor bancário, as empresas estão usando essa tecnologia para aumentar a eficiência”, afirma Moreno.

As habilidades de Machine Learning estão gerando um enorme interesse no campo da tecnologia, e os profissionais que possuem este know how analítico estarão bem posicionados para se destacar nos próximos anos. Cresce cada vez mais as perspectivas para empresas que utilizam a ML.

Os conjuntos de habilidades necessárias para dominar essas tecnologias estão em demanda crescente e profissionais com conhecimento de programação e estatística podem se destacar na área de ML.

O advento da tecnologia está acelerando em uma ampla variedade de setores a inclusão de profissionais com as habilidades de ML. Por exemplo, o departamento de Recursos Humanos (RH) é um dos setores que mais usufruem da eficácia desta tecnologia. Os departamentos de RH e recrutamento têm a tarefa de filtrar um grande número de currículos, e novas plataformas são capazes de combinar os candidatos com as vagas disponíveis no momento.

De acordo com o PayScale, um profissional desta área nos EUA tem um salário médio de US$ 9.400 por mês.

UX Design

O UX Design (na tradução livre: design da experiência do usuário) é uma das áreas que mais têm crescido nos últimos tempos. Esta área é responsável por criar uma experiência atraente e funcional para os clientes.

“O UX tem tudo a ver com a criação de produtos que fornecem jornadas significativas aos usuários. Um campo extremamente vasto e multidisciplinar. O profissional com essa experiência tem espaço em diferentes tipos de plataformas, aplicativos e sites, pois eles conseguem criar uma ponte para o cliente, ajudando a empresa a entender melhor e atender às necessidades e expectativas do seu público”, diz Roberto.

UX Designer é um dos profissionais mais procurados atualmente. É isso que mostra a pesquisa “What skills does the workforce value most?” do LinkedIn. Atuando nesta área, o profissional tem a liberdade de trabalhar em diversos locais, tais como startups, agências e empresas e até mesmo como freelancer.

As empresas esperam que estes especialistas tenham um pensamento estratégico em relação aos recursos, telas e experiências que planejam. No entanto, é preciso manter as capacidades técnicas e ficar atento às novidades para desenvolver ou aperfeiçoar um produto.

Computação em nuvem

A computação em nuvem reúne a entrega de serviços de computação, como armazenamento e gerenciamento de dados, rede e servidores, automação de marketing e análise de negócios pela Internet ou pela “nuvem”. Pesquisa realizada pela Gartner mostra que o mercado mundial de infraestrutura na nuvem cresceu 40,7% em 2020 em relação a 2019, e movimentou US$ 64,3 bilhões.

Roberto afirma que este pode parecer um campo difícil de dominar, mas simplesmente, a computação em nuvem nada mais é do que a entrega de serviços pela Internet. “De ferramentas e aplicativos a servidores, o armazenamento baseado em nuvem nos permite salvá-los em um banco de dados remoto. Esta é uma opção popular por vários motivos, como economia de custos, velocidade, eficiência e claro, segurança”.

A necessidade de profissionais com esta habilidade está crescendo. Se você já trabalha em TI e deseja mudar para uma carreira focada na nuvem, existem inúmeras opções online para educação e treinamento, incluindo aulas individuais e cursos. Você poderá aprender os tópicos aprofundados que você precisa conhecer como especialista em nuvem.

Ainda é possível até mesmo se especializar nas plataformas mais procuradas como Amazon (Amazon Web Services ou AWS), Microsoft (Azure) e Google (Google Cloud Platform).

A computação em nuvem é muito econômica e as companhias podem — e devem — usá-la para seu crescimento, o que é especialmente importante para pequenas empresas e startups que não possuem capital para investir em um amplo departamento de TI.

Cyber Security

Com o crescimento dos ataques cibernéticos que vitimizam empresas, usuários e até mesmo países, o conhecimento em Cyber Security, também conhecido como segurança cibernética, pode ser um ponto extra para os profissionais que querem trabalhar com segurança no setor de tecnologia.

“Em uma época em que as ameaças e crimes cibernéticos são comuns, o domínio da cibersegurança visa a proteção contra a exploração de redes e tecnologias. Para acompanhar os riscos de segurança, são necessários especialistas em empresas de todas as áreas, especialmente instituições financeiras, de saúde e educação, onde os dados, ativos e registros das pessoas precisam ser protegidos, inclusive previsto na nova Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais — LGPD”, diz o executivo.

Com o aumento de ataques cibernéticos, a demanda por profissionais de Cyber Security qualificados também cresce. A área é interessante e desafiadora, e oferece inúmeras oportunidades de crescimento na carreira e a chance de fazer a diferença. Para esta carreira é preciso que o profissional tenha forte capacidade analítica e de diagnóstico.

Para garantir a proteção dos dados eletrônicos, no dia a dia, o profissional deve identificar, gerenciar e reduzir qualquer tipo de risco relacionado aos dados não autorizados da empresa.

A Secretaria de Estatísticas Trabalhistas dos EUA (US Bureau of Labor Statistics) prevê que os empregos de segurança cibernética crescerão 31% até 2029, quase sete vezes mais rápido em comparação com 4% para outras ocupações.

Para quem quer ingressar na carreira, optar por um curso de computação ou de tecnologia da informação pode ser o primeiro passo para facilitar o início da carreira.

Produção de áudio e vídeo

Os profissionais com habilidade de produção de áudio e vídeo, podem navegar por diversos setores do mercado de trabalho. Esses dois formatos de comunicação são essenciais para transmitir a mensagem da empresa.

“Nos dias de hoje, em que as pessoas não têm tempo para consumir conteúdo, os vídeos podem ser uma boa opção. De notícias a anúncios, diversos tipos de conteúdo podem se tornar áudio e vídeo. Com as técnicas certas e dicas de edição, você pode transmitir seu conteúdo com eficiência para o público certo nas diversas redes sociais disponíveis”, declara Roberto.

O produtor de áudio e vídeo deve possuir habilidades técnicas, que podem ser adquiridas com um curso técnico.

Para seguir neste ramo, o profissional pode escolher cursos que são diretamente relacionados, como Rádio e TV, Audiovisual e Cinema, ou então cursos que estão indiretamente relacionados, como por exemplo, marketing, publicidade e propaganda e design gráfico. A graduação aborda de maneira básica, mas é recomendado que busque especialização sobre o assunto.

Nesta área, é possível trabalhar com diversas áreas como: captação de som, cenografia, direção e até mesmo como editor, sendo responsável pela edição dos cortes, inserção de trilha sonora e efeitos sonoros.





Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published.

− 1 = 7