Marketing digital na era da resistência

Marketing

No Brasil, a tendência não é diferente. Aqui, os canais de marketing digital estão a conquistar redes sociais, aplicações de mensagens, e a inundar milhões de caixas de correio eletrônico. Compreender esta tendência é um fator essencial para aqueles que querem acompanhar as principais notícias e ligar-se a um mercado cada vez mais digitalizado.

O poder do marketing digital

Com o advento da Internet, ficou claro desde o início que havia um enorme potencial para utilizar a World Wide Web para fins publicitários e publicitários. Mas nos primeiros tempos da conectividade, a televisão era o meio central e mais expressivo de divulgação da palavra – como a rádio tinha sido décadas antes.

É visível que os principais contornos do marketing digital surgiram já nos anos 80, e, com a passagem do milénio e a popularização dos computadores e a massificação do acesso à Internet, os anúncios em linha ganharam muito mais expressividade.

Antes, a publicidade em massa era um luxo reservado a empresas com capital suficiente para pagar montanhas de dinheiro em canais expressivos e em horário nobre na televisão.

Hoje em dia, é possível alcançar audiências cada vez maiores a um custo muito baixo, impensável há décadas atrás. O marketing digital dá mais condições às pequenas e médias empresas (e pessoas) para promoverem as suas ideias, produtos e serviços – nichos que, antes, não tinham acesso às possibilidades de promoção em massa. O curso Formula Online Business pode ajudá-lo a construir a sua presença digital.

Números impressionantes

Na era digital, ficar fora do mundo online significa perder não só uma audiência, mas todo um enorme mercado que acrescenta cada vez mais pessoas em todo o mundo. Com enormes redes sociais, aplicações de mensagens, plataformas inteiras para cursos, sites de compras, e mesmo casinos e plataformas de jogo online (como as Big Lotteries, por exemplo).

Nenhuma pessoa ou empresa tem a obrigação de estar na Internet, mas escolher não participar nas inovações nunca (ou quase nunca) é uma boa ideia. E nada melhor do que números concretos para mostrar que ficar fora do mundo digital é definitivamente uma má ideia.

Hoje em dia, mais de 90% das compras começam com pesquisas na Internet (não admira que empresas como o Google sejam os maiores gigantes da tecnologia). E, a partir destas pesquisas, os três primeiros resultados recebem quase 70% das visitas e cliques – o que mostra a importância de investir bem em ferramentas SEO (Search Engine Optimization) para melhorar a posição dos websites nos resultados dos principais motores de busca.

E, para uma comparação simples e significativa, os dados indicam que as empresas que publicam mais de seis vezes por mês online têm até o dobro da geração de leads (ou seja, atraem a atenção dos clientes) em comparação com as empresas que publicam com menos frequência.

Os novos hábitos de consumo

Actualmente, 80% dos consumidores gostam de procurar informações (tais como referências, revisões, classificações e outros dados) sobre os produtos e/ou serviços que vão consumir, o que mostra que os instrumentos de investigação desempenham um papel fundamental na forma como as pessoas consomem.

E esta pesquisa também acontece em plataformas de redes sociais: 68% dos consumidores procuram informações nas redes sociais sobre os produtos e/ou serviços que pretendem comprar.

É cada vez mais claro que os consumidores de hoje procuram estar melhor informados sobre o que compram, e que uma boa presença online e um bom serviço ao cliente com profissionalismo e dedicação são ferramentas essenciais não só para atrair a atenção dos clientes, mas também para construir a sua lealdade e expandir a marca.

Como fazer uma boa campanha de marketing digital

O facto de o marketing digital ser mais acessível, dinâmico e barato não significa que qualquer campanha venha a gerar bons resultados. De facto, criar uma boa campanha na Internet não é algo tão simples, porque o nicho em si é cada vez mais competitivo.

Uma boa campanha de marketing digital requer, antes de mais, uma pesquisa de mercado adequada, e o método Descomplica Upgrade ensina isto muito bem. O que vai vender, a quem vai vender, e como vai vender, são três questões fundamentais. Conhecer o seu público-alvo é fundamental.

Com os utilizadores da Internet gastando em média 23% do seu tempo online em redes sociais, não se pode criar uma boa campanha digital ignorando estas plataformas. Ter uma boa presença no Facebook, Twitter, Instagram e até no YouTube é fundamental para aqueles que querem ser vistos no mundo virtual.

Tomar todos estes factores em consideração (assim como estruturar os métodos adequadamente para gerar envolvimento) é crucial para diferenciar uma campanha bem sucedida de um esforço infrutífero.

Conclusões

Há algumas décadas, divulgar na internet poderia ser uma escolha. Hoje, com as novas tendências de mercado e com as mudanças nos comportamentos dos consumidores, divulgar seu nome e/ou sua empresa não é mais questão de escolha, mas sim de sobrevivência.

Negligenciar a internet é um erro fatal para quem quer manter um negócio e promover sua expansão. A quantidade de pessoas que podem ser alcançadas por meio de uma boa campanha de marketing digital é algo que não pode ser negado, principalmente em relação aos baixos custos proporcionais ao quanto se pode conseguir com a divulgação online.

Ter uma boa presença na internet é, hoje, um dos fatores que diferencia os negócios e pessoas que sabem acompanhar as principais tendências e aqueles que ficam parados no tempo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

32 − = 22